Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aqui, é o que me apetece!!

Não só o que me apetece, mas quando me apetece e sobre o que me apetecer! Tenho dito!... E vou continuar a dizer!



Quarta-feira, 08.10.14

Orgulho em ser Portugal Telecom

É isso mesmo que leram. Orgulho. Muito. Antes, agora e sempre.

Não me importa que me agridam dezenas de vezes por dia com notícias destabilizantes.

Não me importa que sejam demasiado inoportunos nos comentários: «Então que língua falas agora?», «Então agora vocês são o quê: passaram dos "ban-ban-bans" cá do sítio para material de retalho, é?».

 

Digam o que quiserem. 

 

Não pensem que não estou preocupada: tenho orgulho em ser PT, não sou estúpida ou burra. 

Mas continuo a acreditar em mim e nos meus colegas.

 

Levo 9 anos de PT.

De temporária a contratada; De contratada a efetiva; De efetiva até não me quererem mais.

Sim, porque eu acredito no valor do Grupo, da empresa do Grupo a que pertenço.

No valor dos meus colegas e na minha força de vontade.

 

Que atire a primeira pedra o ignorante que acha que trabalha na empresa perfeita, com o chefe perfeito e com colegas mais que perfeitos.

 

Deixemo-nos de utopias e falemos de realidades: Sim, a PT já esteve entre as maiores do Mundo, da Europa e do País. Mas o que nos colocou lá continua a existir, porque foram as pessoas - como eu e muitos outros - que a colocaram lá com a sua capacidade de inovação, com o seu trabalho suado, muitas das vezes com os maiores sacrifícios pessoais para benefício de muitos.

Inclusive dos Clientes, que beneficiaram com toda a tecnologia inovadora que ao longo dos anos lhe foi sendo disponibilizada.

 

Em 9 anos de casa, tive muitas alegrias, momentos maravilhosos e muito, muito trabalho. 

Trabalhei com pessoas maravilhosas, perdi algumas e ganhei outras.

Deixámos de ser uma participada do Estado, sobrevivemos a uma OPA e acreditámos no projeto que o Eng.º Zeinal Bava tinha para nós além fronteiras.

 

A rota mudou? Sim. A dele, a do Grupo e, consequentemente, a de todos nós.

Quando e como é que tudo isto vai acabar? Não sei. A esta altura duvido que alguém saiba.

 

Mas não é por isso que vou baixar os braços.

Não é por isso que vou mudar de comportamento, deixando de dar o melhor de mim, por mim, pelos meus colegas, pela minha empresa e por todos os colaboradores não ativos que dependem do meu trabalho para manterem as suas pré-reformas.

 

Se há injustiças dentro da PT?

Como em qualquer empresa, desde a de vão de escada, às maiores multinacionais, passando pelas PME's familiares ou não, há de tudo:

- Quem ganhe muito merecidamente;

- Quem ganhe muito e faça pouco;

- Quem ganhe pouco e se mate a trabalhar;

- Quem ganhe pouco e não se esforce minimamente.

 

Pessoalmente, não me posso queixar: sempre dei tudo por tudo, em todas as frentes, mesmo quando ganhava pouco mais que o salário mínimo.

Mas sempre tive reconhecimento. Batalhei muito, chateei muita gente, mas sempre de consciência tranquila.

Não se reivindica sem razão e nunca pedi nada que não merecesse. De uma forma ou outra, em medidas acima ou muito abaixo das minhas expectativas, a verdade é que sempre me reconheceram mérito.

Se queria mais? Se estou preparada para trabalhar noutros projectos dentro da PT? Claro que sim!!!! Mas eu sou assim, não falo por todo o Universo PT.

 

Por isso é de coração que vos digo: vão-se lixar com as vossas piadinhas estúpidas em lugares tão inapropriados como a meio de um exame ginecológico.

 

Se as coisas correram mal?, se é verdade o que diz a imprensa?

Já fui jornalista e quero acreditar que, se o dizem, é porque têm fontes credíveis em que se basear.

 

Se não tenho vergonha?

Não, a decisão dos 900 milhões não foi minha e, se fosse, como em tudo o que já fiz nesta empresa, seria a primeira a chegar-me à frente de quem fosse preciso e faria o mea culpa, mesmo que o erro fosse incorrigível.

 

Mas esta sou eu.

Eu sou assim e não baixarei os braços até que alguém me olhe nos olhos e me diga que estou dispensada, que não precisam mais de mim.

 

Se isso vai dar cabo de mim?

Claro, ou acham que sou rica? Gosto muito de trabalhar mas não é menos verdade que a minha sobrevivência e a dos meus também depende disso.

Se estou à procura de abandonar o barco? Não. 

Se sou parva por não o fazer? A vossa opinião será que sim.

 

Mas eu tenho orgulho em ser PT.

Continuem lá com as bocas parvas, com as notícias demolidoras, com informação que nos deixa ainda mais à toa que o que já estamos.

Eu vou continuar a dar o meu melhor.

Por mim.

Pelos meus colegas.

Por todos os que não conheci e que dependem de mim.

 

«Ah e tal, falas de boca cheia. Vocês é só regalias!!! Pançudos!!».

 

Primeiro que tudo, «Vocês» é muita gente.

Tenho um bom plano de saúde? Tenho. Mas pago por ele.

Tenho MEO à borla? Tenho. Mas pago tudo o resto, e além do mais agora inventaram de nos taxarem esta benesse em sede de IRS.

Tenho um bom plafond de comunicações? Tenho. 

E então? O que criticam? Têm inveja, é? 

 

Não tenham a menor dúvida que dou de mim à empresa tanto ou mais que ela me dá a mim. 

Se isto acontece com todos os trabalhadores de todas as empresas do Grupo PT? Claro que não, em que mundo é que vivem????

 

A PT é uma empresa igual a todas as outras, mas diferente na sua dimensão e na dimensão em que afetou a vida de milhares de portugueses.

Para isso, teve sempre outros milhares a trabalhar para que as coisas acontecessem.

 

Correu mal? Muito.

Sentimo-nos perdidos? Claro, somos humanos, caramba!!!!

 

Mas vou baixar os braços? Nunca, só quando mos "cortarem".

 

Sejam "tuguinhas" e mesquinhos à vontade: eu fui, sou e serei PT.

Sejam invejosos e maldosos à vontade: eu estive lá no MEO, na Cloud, no M3O, no Data Center da Covilhã, no M4O e no M5O.

Vi projetos de Responsabilidade Social com que vocês nem sonham, tecnologia desenvolvida para pessoas com determinadas capacidades diminuídas que vocês podem apenas imaginar.

Assisti a sessões de esclarecimento e de formação que vocês podem apenas invejar. 

E tantas, tantas outras coisas.

E vocês, onde é que estavam quando tudo isto aconteceu?

 

Eu estive lá, estou lá de alma e coração, e até me quererem, lá estarei.

Tenho muito a dar a esta empresa.

E, se alguém decidir que não nos querem mais, não baixarei os braços.

 

A luta é diária seja onde for.

Não queiram esgrimir comentários jocosos relativamente ao Grupo a que pertenço comigo.

Chego para todos, mesmo reconhecendo a fragilidade do momento.

 

Não sejam invejosos e mesquinhos: pensem se fosse convosco antes de abrirem essas bocarras.

Deixem-me fazer exames médicos sem me chatearem, pode ser?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Mamã às 21:22


32 comentários

De Olívia a 10.10.2014 às 15:36

Olha já sei o seu nome!!!!

De Mamã a 10.10.2014 às 16:34

Olívia, eu nem me lembrava que aqui não assino o meu nome, mas pode sempre ser minha amiga aqui, no facebook (Sara Gaspar Militão) e até pessoalmente.
Teria muito gosto em recebê-la na minha casa!!!!
E se for com tempo mais quentinho para as meninas brincarem nas estruturas do condomínio, ainda melhor!!!!

Beijinhos muito grandes!!!!

De Nuno a 10.10.2014 às 18:23

Muito bom!!

De Fernando Loureiro a 10.10.2014 às 23:03

Muito bem !!!!!!
É esta a mensagem que tem de passar, é este o espírito da "Camisola PT".
Alguns estarão a fugir, é sempre assim, os ratos são os primeiros a abandonar o barco. Mas em compensação ainda aparecem Saras Militão que, com poucos anos de "CASA" incorporaram tão bem este sentir PT.
Força, vamos a eles. Nós os que, por vontade própria ou empurrados para isso, já não estamos no activo, estamos aqui para vos dar toda a força.
E se necessário for e necessários formos eles que digam e voltamos todos a CASA, a remar outra vez ao vosso lado.

De Mamã a 11.10.2014 às 01:20

Obrigada, Fernando.
Que bom ler as suas palavras e que bom reencontrá-lo aqui. Se de mim dependesse, voltaríamos a trabalhar juntos já amanhã.
Um grande bem haja pela sua mensagem.
Um grande abraço.

De Miguel Carvalho a 11.10.2014 às 09:18

Sou colega e partilho muito do que foi dito, é um orgulho trabalhar na PT e ter colegas como estes. Obrigado

De Mamã a 11.10.2014 às 17:40

Obrigada eu, Miguel.

De João a 12.10.2014 às 00:00

Não me identifico com o seu post, antes com a sua postura de profissional. Como você, eu e milhentos outros colegas demos o litro em Carnide, e chegamos à conclusão que a PT é igual a qualquer outra empresa Portuguesa - cria um ou dois ricos à conta de dezenas de milhares depobres, bem entendido. Se me perguntarem em relação à sua posição, acho-a nobre, se bem que tola, mas cada um é igual a cada qual. Já quanto à empresa que representa e tristemente defende (embora eu entenda que essa defesa só a valoriza a si enquanto profissional), lamento, é péssima. Medíocre, até, e não falo estando de fora, basta lembrar a segunda linha do meu comentário. Não obstante, e não poderia estar a ser mais sincero, lamento ainda mais o facto de uma empresa A SÉRIO não pegar em si, pois certamente ficaria a ganhar ao contratar umaprofissional de verdade. Que corra tudo pelo melhor.

De Mamã a 12.10.2014 às 22:34

João, agradeço muito o seu comentário.
Apesar de não compreender que parte do meu post é que o leva a dizer que a minha postura é um tanto tola, não tenho como não lhe agradecer os elogios e a sua honestidade em relação à empresa.
A liberdade de expressão é isso mesmo.

Uma vez mais, um muito obrigada!

De João a 13.10.2014 às 03:42

A tolice a que me refiro é a de ser incondicionalmente fiel até ao fim, nem que para isso sofra a bom sofrer - quando o esforço na relação se resume a apenas uma das partes, alguma coisa está mal. Uma vez mais, é de louvar a sua postura e ética pessoal e profissional, mas como não sou eu que lhe pago o ordenado, acho que o mínimo que a PT deveria fazer seria, isso sim, valorizar o que tem ao invés de alimentar a rotatividade que alimenta ( e você sabe a grotesca que é essa é) a troco de amendoins. É bom ser efectivo... mas a troco de quê? Uma palmadinha nas costas? Sobreviver não chega, temos todos o direito de viver. Tudo de bom, e felicidades.

De Mamã a 13.10.2014 às 15:00

Se o João soubesse como as suas palavras se aplicam à minha situação... Mas a minha situação, como diz é muito bem, é também a de muitos outros.
Obrigada, João, agora e sempre, pelas suas palavras.
Um grande abraço!!!

De wideawake a 12.10.2014 às 21:30

É isso mesmo! Nem sempre importa o que os outros dizem. Se confias, ala para a frente! :) *

De Mamã a 13.10.2014 às 15:01

Bem tento....m

Comentar post


Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031