Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aqui, é o que me apetece!!

Não só o que me apetece, mas quando me apetece e sobre o que me apetecer! Tenho dito!... E vou continuar a dizer!



Quarta-feira, 08.10.14

Orgulho em ser Portugal Telecom

É isso mesmo que leram. Orgulho. Muito. Antes, agora e sempre.

Não me importa que me agridam dezenas de vezes por dia com notícias destabilizantes.

Não me importa que sejam demasiado inoportunos nos comentários: «Então que língua falas agora?», «Então agora vocês são o quê: passaram dos "ban-ban-bans" cá do sítio para material de retalho, é?».

 

Digam o que quiserem. 

 

Não pensem que não estou preocupada: tenho orgulho em ser PT, não sou estúpida ou burra. 

Mas continuo a acreditar em mim e nos meus colegas.

 

Levo 9 anos de PT.

De temporária a contratada; De contratada a efetiva; De efetiva até não me quererem mais.

Sim, porque eu acredito no valor do Grupo, da empresa do Grupo a que pertenço.

No valor dos meus colegas e na minha força de vontade.

 

Que atire a primeira pedra o ignorante que acha que trabalha na empresa perfeita, com o chefe perfeito e com colegas mais que perfeitos.

 

Deixemo-nos de utopias e falemos de realidades: Sim, a PT já esteve entre as maiores do Mundo, da Europa e do País. Mas o que nos colocou lá continua a existir, porque foram as pessoas - como eu e muitos outros - que a colocaram lá com a sua capacidade de inovação, com o seu trabalho suado, muitas das vezes com os maiores sacrifícios pessoais para benefício de muitos.

Inclusive dos Clientes, que beneficiaram com toda a tecnologia inovadora que ao longo dos anos lhe foi sendo disponibilizada.

 

Em 9 anos de casa, tive muitas alegrias, momentos maravilhosos e muito, muito trabalho. 

Trabalhei com pessoas maravilhosas, perdi algumas e ganhei outras.

Deixámos de ser uma participada do Estado, sobrevivemos a uma OPA e acreditámos no projeto que o Eng.º Zeinal Bava tinha para nós além fronteiras.

 

A rota mudou? Sim. A dele, a do Grupo e, consequentemente, a de todos nós.

Quando e como é que tudo isto vai acabar? Não sei. A esta altura duvido que alguém saiba.

 

Mas não é por isso que vou baixar os braços.

Não é por isso que vou mudar de comportamento, deixando de dar o melhor de mim, por mim, pelos meus colegas, pela minha empresa e por todos os colaboradores não ativos que dependem do meu trabalho para manterem as suas pré-reformas.

 

Se há injustiças dentro da PT?

Como em qualquer empresa, desde a de vão de escada, às maiores multinacionais, passando pelas PME's familiares ou não, há de tudo:

- Quem ganhe muito merecidamente;

- Quem ganhe muito e faça pouco;

- Quem ganhe pouco e se mate a trabalhar;

- Quem ganhe pouco e não se esforce minimamente.

 

Pessoalmente, não me posso queixar: sempre dei tudo por tudo, em todas as frentes, mesmo quando ganhava pouco mais que o salário mínimo.

Mas sempre tive reconhecimento. Batalhei muito, chateei muita gente, mas sempre de consciência tranquila.

Não se reivindica sem razão e nunca pedi nada que não merecesse. De uma forma ou outra, em medidas acima ou muito abaixo das minhas expectativas, a verdade é que sempre me reconheceram mérito.

Se queria mais? Se estou preparada para trabalhar noutros projectos dentro da PT? Claro que sim!!!! Mas eu sou assim, não falo por todo o Universo PT.

 

Por isso é de coração que vos digo: vão-se lixar com as vossas piadinhas estúpidas em lugares tão inapropriados como a meio de um exame ginecológico.

 

Se as coisas correram mal?, se é verdade o que diz a imprensa?

Já fui jornalista e quero acreditar que, se o dizem, é porque têm fontes credíveis em que se basear.

 

Se não tenho vergonha?

Não, a decisão dos 900 milhões não foi minha e, se fosse, como em tudo o que já fiz nesta empresa, seria a primeira a chegar-me à frente de quem fosse preciso e faria o mea culpa, mesmo que o erro fosse incorrigível.

 

Mas esta sou eu.

Eu sou assim e não baixarei os braços até que alguém me olhe nos olhos e me diga que estou dispensada, que não precisam mais de mim.

 

Se isso vai dar cabo de mim?

Claro, ou acham que sou rica? Gosto muito de trabalhar mas não é menos verdade que a minha sobrevivência e a dos meus também depende disso.

Se estou à procura de abandonar o barco? Não. 

Se sou parva por não o fazer? A vossa opinião será que sim.

 

Mas eu tenho orgulho em ser PT.

Continuem lá com as bocas parvas, com as notícias demolidoras, com informação que nos deixa ainda mais à toa que o que já estamos.

Eu vou continuar a dar o meu melhor.

Por mim.

Pelos meus colegas.

Por todos os que não conheci e que dependem de mim.

 

«Ah e tal, falas de boca cheia. Vocês é só regalias!!! Pançudos!!».

 

Primeiro que tudo, «Vocês» é muita gente.

Tenho um bom plano de saúde? Tenho. Mas pago por ele.

Tenho MEO à borla? Tenho. Mas pago tudo o resto, e além do mais agora inventaram de nos taxarem esta benesse em sede de IRS.

Tenho um bom plafond de comunicações? Tenho. 

E então? O que criticam? Têm inveja, é? 

 

Não tenham a menor dúvida que dou de mim à empresa tanto ou mais que ela me dá a mim. 

Se isto acontece com todos os trabalhadores de todas as empresas do Grupo PT? Claro que não, em que mundo é que vivem????

 

A PT é uma empresa igual a todas as outras, mas diferente na sua dimensão e na dimensão em que afetou a vida de milhares de portugueses.

Para isso, teve sempre outros milhares a trabalhar para que as coisas acontecessem.

 

Correu mal? Muito.

Sentimo-nos perdidos? Claro, somos humanos, caramba!!!!

 

Mas vou baixar os braços? Nunca, só quando mos "cortarem".

 

Sejam "tuguinhas" e mesquinhos à vontade: eu fui, sou e serei PT.

Sejam invejosos e maldosos à vontade: eu estive lá no MEO, na Cloud, no M3O, no Data Center da Covilhã, no M4O e no M5O.

Vi projetos de Responsabilidade Social com que vocês nem sonham, tecnologia desenvolvida para pessoas com determinadas capacidades diminuídas que vocês podem apenas imaginar.

Assisti a sessões de esclarecimento e de formação que vocês podem apenas invejar. 

E tantas, tantas outras coisas.

E vocês, onde é que estavam quando tudo isto aconteceu?

 

Eu estive lá, estou lá de alma e coração, e até me quererem, lá estarei.

Tenho muito a dar a esta empresa.

E, se alguém decidir que não nos querem mais, não baixarei os braços.

 

A luta é diária seja onde for.

Não queiram esgrimir comentários jocosos relativamente ao Grupo a que pertenço comigo.

Chego para todos, mesmo reconhecendo a fragilidade do momento.

 

Não sejam invejosos e mesquinhos: pensem se fosse convosco antes de abrirem essas bocarras.

Deixem-me fazer exames médicos sem me chatearem, pode ser?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Mamã às 21:22


32 comentários

De J. M. a 08.10.2014 às 22:39

Apoiado!

De Maria João Costa a 08.10.2014 às 23:26

Não existem empresas perfeitas, existem muitas injustiças, existem momentos bons e momentos maus, mas o importante é pensarmos positivo e darmos o melhor de nós, em qualquer lugar!

De Mamã a 09.10.2014 às 11:53

Isso mesmo, por muito difícil que seja...

De Elisabete Cruz e Grencho a 09.10.2014 às 09:26

Estou contigo Sara. Estou preocupada por mim e pelos colegas que trabalham comigo todos os dias. Mas que o medo não nos pare e não nos tolde os pensamentos. Obrigada pelas tuas palavras. Também tenho orgulho em pertencer, por mérito próprio, à PT.

De Mamã a 10.10.2014 às 10:06

Mantenhamo-nos firmes!!!

De Slice a 09.10.2014 às 20:39

subscrevo na integra. Sara, dá-lhes na corneta forte e feio....

De Mamã a 09.10.2014 às 21:54


Não falta muito, não....

De Rute Silva a 09.10.2014 às 21:41

Sara, identifiquei-me muito com seu post. Parecia que tinha sido escrito por mim ou por muitos outros colegas com quem tenho tido o prazer é a honra de trabalhar durante mais de uma década e meia. É de pessoas assim com raça, atitude e apego que a PT chegou a ser uma das melhores do mundo, e é com esta atitude que iremos superar esta prova e provar que a PT é muito , muito mais do que aquilo que os que estão de fora imaginam. Sabem lá eles....

De Mamã a 09.10.2014 às 21:48

Obrigada, Rute. Muito obrigada.
É isso mesmo: sabem lá eles...
Um beijinho grande!

De Cândido a 09.10.2014 às 22:22

Um grande like de quem olha para este momento como algo que será passageiro. Sozinhos somos fortes , juntos somos imbatíveis. Se o sonho comanda a vida, todos os dias conseguimos, como disse, trabalhar em projetos com dimensão que muitos nem sonham. Como em tudo, nesta empresa, é tudo feito em grande escala, mas todos vamos conseguir dar a volta e demonstrar o nosso valor e a nossa força e sorrindo para as adversidades.

De Mamã a 10.10.2014 às 10:05

Muito obrigada, Cândido.

De lmxjesus a 10.10.2014 às 07:26

100% de acordo com tudo o que escreveu!

De Mamã a 10.10.2014 às 10:06

Ainda bem! Obrigada!

De MSS a 10.10.2014 às 12:50

Estas palavras são o nosso código genético, o ADN da PT. Dizê-lo assim, até que a voz nos doa, é galvanizante! :-)

De Mamã a 10.10.2014 às 14:15

Muito, muito obrigada, MSS!!!
Acho que é a primeira vez que aplicam esse adjetivo a algo que escrevo o que, na situação em questão, me deixa, como calcula, muito feliz e ainda mais motivada!!!

De marrocoseodestino a 10.10.2014 às 15:00

Empresas perfeitas?
Não, assim como não há pessoas perfeitas.
Nem sempre as coisas correm bem, mas nesses momentos as pessoas tem de dar o máximo.
Se há coisas que detesto é ouvir dizer mal da Instituição onde trabalho. Não é perfeita, mas damos o nosso melhor para o bem estar de quem usufrui dela.
Beijinho

De Mamã a 10.10.2014 às 16:36

É isso mesmo, Joana!!!
E não tenho, nem nunca tive, problemas em dizer que já fui jornalista e que quando vim para Lisboa, entrei aqui por mérito próprio, como secretária e não tenho vergonha nenhuma nem da instituição para a qual trabalho nem do trabalho honesto que nela desenvolvi, ainda que completamente fora da minha formação!

De Olívia a 10.10.2014 às 15:35

Era caso par dizer «toma lá e embrulha», mas vou um pouco mais... em primeiro lugar (e mesmo não saiba o seu nome), já percebi que é uma pessoa de valores, em segundo gosto muito do que escreve (por isso aqui estou) e terceiro porque é uma pessoa dedicada (família, casa, trabalho).
Sempre foi e sempre será nos momentos de maior crise/problemas que se reconhecem quem são os nossos amigos, todos aqueles que ficam do nosso lado e nos entendem e todos aqueles que saem de mansinho das nossas vidas, e é bom, de vez em quando precisamos de uma limpeza geral nas nossas vidas, existem muitas pessoas que até nem fazem falta nenhuma.
Portanto minha querida amiga virtual a sua posição é um orgulho para o seu trabalho e para a sua família! Trabalha e luta por algo em que acredita. Bem haja por isso
Grande beijinho!

De Mamã a 10.10.2014 às 16:39

Acredite que é mesmo isso, Olívia.
Ouço mais bocas foleiras na rua e outros sítios que tal - como pode perceber neste post - do que recebi (ou hei-de receber) telefonemas de amigos preocupados comigo e com a situação em que a minha família ficará se eu ficar sem emprego.
Também isto me entristece, mas neste momento o foco deve ser outro: o de luta e de ter fé.

Esta sacudidela na «árvore das amizades», que muita podridão há-de deixar cair por terra, terá que ficar para depois, que valores mais altos se levantam...
Um grande bem haja, minha amiga virtual!!!, e um grande, grande abraço pelas suas palavras de conforto!

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031